Desenvolvimento do Currículo de Arte: poetizar, fruir e conhecer Arte!

“Tome então uma tesoura, introduza uma ponta na superfície e corte continuamente no sentido do comprimento. Tenha cuidado para não cair na parte já cortada, o que separaria a fita em dois pedaços. Quando você tiver dado a volta na fita de Moebius, escolha entre cortar à direita ou à esquerda do corte já feito. Essa noção de escolha é decisiva e nela reside o único sentido dessa experiência. A obra é o seu ato. À medida que se corta a fita, ela se afina e se desdobra em entrelaçamentos. No fim, o caminho é tão estreito que não pode mais ser aberto. É o fim do atalho. Se utilizo uma fita de Moebius para essa experiência é porque ela quebra os nossos hábitos espaciais: direita-esquerda, anverso e reverso etc. Ela nos faz viver a experiência de um tempo sem limite e de um espaço contínuo”. Texto extraído do Caderno do Professor – Arte – Volume 1.

 

Situação de Aprendizagem 2 – Artes Visuais – Proposição II – Ação expressiva: a obra contemporânea na sala de aula.

Alunos da 2ª série do Ensino Médio, EE. “Francisco Piergentile”, professora de Arte  – Maricilda Voss. A aula foi desenvolvida, para que o aluno se aproprie dos conceitos da arte contemporânea baseada na obra “Caminhando” de Lygia Clark.